Daily Lummus

Social » I Fórum Internacional de Magizooherbologia - Tokyo




JORNAL LUMMUS


TOKYO, julho de 2021


I Will Survive
Luta pela sobrevivência em competição em plena floresta Aokigahara.




Tóquio, Japão. A quarta sede do primeiro Fórum Internacional de Magizooherbologia. A cidade recebeu bruxas e bruxos do mundo todo para o evento da vez: o Survivor em Aokigahara. No comando das atividades do Japão esteve Haruno Kabayashi, chefe do Departamento de Controle de Animais Mágicos do Ministério da Magia japonês que trabalhou em conjunto com a Confederação Internacional dos Bruxos (CIB) e o departamento de Zooherbologia. Com duas versões do evento, a adulta e a infantil, o que não faltou foi emoção e adrenalina.

"(...)a floresta de Aokigahara foi o primeiro lugar que me veio à cabeça. Apesar dela ter fama de amaldiçoada e muitas outras coisas mais, também é um local muito rico em termos de ervas mágicas e medicinais e, bem... o Survivor me pareceu lógico para mostrar o poder dessas plantas para os leigos e também ensinar seus usos acompanhando aqueles que já sabiam como usá-las(...)" Haruno Kabayashi sobre a ideia que deu origem ao Survivor.


Enquanto os participantes passavam por todos os tipos de provas dentro do floresta Aokigahara, uma multidão torcia por eles em um local previamente preparado para acomodar os torcedores, na cidade. Durante os três dias, adultos e crianças viveram provações dignas de um torneio tribruxo misturado com Jogos Vorazes (filme não-bruxo). Névoas misteriosas, disputas por mantimentos e acessórios úteis à jornada de cada um, lutas com inferi, insetos e plantas da floresta, fizeram parte do repertório de acontecimentos enfrentados pelos competidores e sem contar os encontros com dementadores para os adultos e Bichos papões com as crianças. Muitos desses competidores acabaram sendo retirados da prova mais cedo e sendo levados às tendas de atendimentos. Justamente pelo teor das provas e do evento, a preocupação maior da população, principalmente dos familiares das crianças que competiram, era com a segurança dos mesmos. Questionado sobre isso, Haruno nos disse que "foi criado um dispositivo que monitora os sinais vitais dos participantes. Se eles sofrem qualquer alteração, por mínima que seja, são aparatados em uma das tendas do TvH imediatamente. Esse aparelho também possui um botão que, uma vez pressionado, acarreta na desistência do participante e o desaparata da floresta também. E, além disso, há membros do corpo dos aurores japoneses espalhados em pontos estratégicos da floresta para se certificar de que os perigos não passarão do que seria suportável a um competidor". Todo o sistema e aparelhagem utilizados durante a prova foram criados por Hatori Han, chefe do comitê de Zooherbologia da CIB. Além do auxílio dos aurores japoneses, também colaborou para a realização do evento o Hospital Theophrastus von Hohenheim (TVH).

Como todo grande evento, esse não podia deixar de se tornar alvo das críticas do público. Houve quem criticasse a ideia por ser demasiada ousada para a ocasião e até mesmo quem pusesse em dúvida se a CIB daria "conta do recado". "Ah, sempre tem aquelas pessoas que vão encontrar furos e se valer neles para criticar de forma negativa ao invés de construtiva, mas podemos garantir que temos tudo sob controle e que essa atividade tem tudo para ser a melhor de todo o circuito de eventos do Comitê Mundial de Zooherbologia." disse Haruno a respeito do assunto.

E, de fato, foi uma atividade realizada com sucesso, sem nenhuma ocorrência mais grave, mesmo com muitos dos participantes tendo acabado nas mais adversas situações nas tendas de atendimento médico. Após uma longa jornada em direção à base do Monte Fuji, o Survivor terminou com Wang Shu Lee (informações desconhecidas) como vencedor da versão adulta e Ares Hatzimichalis, que está do sétimo ano da Escola de Magia e Bruxaria De Hogwarts, como vencedor da versão juvenil.

Segue abaixo a lista com os quatro primeiros colocados entre os adultos:

1o – Wang Shu Lee
2o – Yut Lung Lee
3o – Yuu Miyamoto
4o – Jian Yin Lee

E dos jovens em idade escolar:

1o – Ares Hatzimichalis
2o – Oh Ha Na
3o – Tales Laustern
4o – Maya Matsuda


Nós da Rede Lummus de Comunicação gostaríamos de parabenizar todos os que enfrentaram o desafio no Japão, e não se esqueçam, a aventura continua! Próximo destino: Egito!


Escrito por : Reyna Zheng

92 Visualizações
01/06/2020 às 16:29:35




Social » I Fórum Internacional de Magizooherbologia - Atenas




JORNAL LUMMUS

VADUZ, Julho de 2021

Na Terra dos Deuses uma aventura vos aguarda.
Uma viagem a Atena, capital da Grécia, berço da civilização ocidental e um dos palcos do I Fórum Internacional de Magizooherbologia.

[ img ]


Uma viagem ao redor do mundo é algo que em algum momento alguém pensou em fazer alguma vez em sua vida, talvez colocada naquela lista do que fazer antes de uma determinada idade. Graças ao I Fórum Internacional de Magizooherbologia, visitar tantos continentes se tornou possível e um desses locais que abriu suas fronteiras foi a capital da Grécia: Atenas.

Conhecida como sendo o berço da civilização ocidental, Atenas tendo pontos turísticos conhecidos pelo mundo todo, programou duas atividades, uma para crianças e adultos, onde enfrentam criaturas dadas como mitológicos pelo mundo trouxa, no Monte Licabeto, além de conhecer, através do Monte Pentélico, o próprio Hades, ou reino dos mortos, uma experiência bastante intrigante para aqueles que eram maiores de idade e puderam em primeira mão entender o julgamento do mundo dos desfalecidos, além de ter que escapar dele.

Conversamos com a Chefe do Comitê de Zooherbologia, Natasha Velius, que nos deu em primeira mão suas motivações para orquestrar essas atividades, além de uma pequena dica para aqueles que se aventuraram ao mundo dos mortos, assim como para as crianças que enfrentaram um labirinto com criaturas que aparecem em várias lendas do universo trouxa:

“Como uma estudante de Durmstrang, eu acredito que as atividades têm de ser desafiadoras. Por isso preparei algo que não é fácil, mas que sei da capacidade dos bruxos para cumprir. Tanto a das crianças quanto a dos adultos foram cuidadosamente pensadas a esse propósito. (...) Uma boa dica acho que seria, principalmente para quem for para os Campos de Punição, não acreditar em tudo o que vê. (...) Quem for enfrentar o Minotauro, prestar bastante atenção no entorno, porque você pode não saber tudo sobre magia, mas pode se aproveitar de outros objetos por ali. Aos que não tem essa coragem, não incomodem os centauros.”

Obviamente, não são apenas as atividades que chamam a atenção dos turistas que viajaram para Atenas, uma das oportunidades dessa viagem por seis continentes é visitar os pontos turísticos das cidades e mergulhar na cultura de cada país. Em Atenas estão abertos para exploração vários locais interessantes como: museus, centros arqueológicos, igrejas, estádios, e, é claro, aproveitar as belas paisagens para momentos românticos, ou apenas para estar mais próximos aos deuses. É apenas questão de procurar o que combina com você e aproveitar.


Escrito por: AYLA VON AMSBERG

763 Visualizações
26/05/2020 às 12:00:38