Jornal Lummus


ALEXANDRIA, agosto de 2021


Around the World

Imagem


Dizem que morrer seria uma grande aventura, mas, será que valeria à pena morrer sem ter se aventurado de verdade pelo mundo? Uma vez que existir também é se aventurar. Logo, é necessário estar pronto para topar com as eventualidades que o destino irá colocar em seu caminho e há muitos caminhos melhores do que o caminho da morte. Como por exemplo, viajar.

Este ano, a Confederação Internacional dos Bruxos (CIB) coordenou o primeiro Fórum Internacional de Zooherbologia, oferecendo uma volta ao mundo por diversos países e um destes, foi o Egito. A cidade de Alexandria foi a escolhida para turismo e não é para menos. O local foi o palco de grandes civilizações e recebeu o nome de seu fundador. Por isso, é guarnecido por diversos pontos turísticos dignos de visita. Nesta matéria, falaremos a respeito de algumas destas atrações.

Uma delas é a Cidadela de Qaitbay. Uma fortaleza que foi construída no século XV, a fim de proteger a cidade de invasões. Sua estrutura atual não é a originária e passou por diversas reestruturações, a última ocorreu no século XX. Por ser localizada na costa do mar mediterrâneo, a Cidadela fornece uma vista ímpar do mesmo.

Outra atração, merecedora de atenção, são as Catatumbas de Kom el Shoqafa. Um belíssimo sítio arqueológico com tumbas decoradas, datadas da época romana. Elas possuem uma mesclagem extraordinária da iconografia egípcia, grega e romana. Pelas paredes dos túmulos, as gravuras reúnem a forma de deuses egípcios vestidos à moda romana ou grega ou criaturas da mitologia grega e romana, com símbolos faraônicos. O local possui inúmeras sepulturas e serviu como câmara funerária do séc. II ao IV e foi redescoberto apenas em 1900. Vale a pena conferir a forma como os alexandrinos lidavam com a morte.

Há também o Farol de Alexandria, que é considerada um marco da engenharia na antiguidade, é um local merecedor de visitação. Este é considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo e não é para menos. Tendo o formato de uma torre, o Farol foi construído em 280 aC na ilha de Faros. Servia como marca de entrada para um porto, uma vez que se encontrava de frente para o mar. A sua forma atual não é a mesma, devido aos terremotos que atingiram a ilha, causando sua destruição. Atualmente, com as pedras que sobraram da construção original, foi erguido um forte. Mas, ainda é possível ver as ruínas do anterior com uma equipe de mergulhadores arqueólogos.

A Biblioteca de Alexandria é um dos locais mais, se não, o mais importante para ir quando se está nas terras fundadas por Alexandre, o Grande. A biblioteca fora instituída logo após a fundação da cidade no século II aC. É julgada como uma das maiores realizações do patrimônio da antiga Alexandria, pois possuía o objetivo de preservar o conhecimento do mundo antigo e também, divulgar a cultura nacional. Não se sabe ao certo o que ocasionou o incêndio do local e nem quando ocorreu, mas, acreditam que foi por volta do início da Era Romana no Egito. A nova biblioteca foi construída próxima da antiga e é considerada exemplo impressionante da arquitetura moderna do século XXI. O exterior do atual edifício é decorado com caracteres de inúmeros idiomas, para lembrar a vasta riqueza de conhecimentos de todo o mundo, antes acolhidos na Grande biblioteca.

É mais fácil dizer que viver é a maior aventura existente do que se aventurar para morrer. Permita-se aproveitar cada esquina da segunda cidade mais populosa do Egito. Além dos pontos turísticos apresentados, aventure-se pelos recantos da pólis. Ouça músicas, amplie seu paladar e faça valer à pena sua jornada nas terras que situam-se ao oeste do rio Nilo.


Escrito por: Cassie McAlister

1.148 Visualizações
06/06/2020 às 11:18:41

Cadernos
Notícias
Jornalistas