JORNAL LUMMUS

LIECHTENSTEIN, Outubro de 2022

Confederação internacional dos bruxos passa por reformulações
Entre saídas controversas, cargos desocupados e afastamentos, CIB busca reaver as lacunas

Imagem


A Confederação Internacional de Bruxos recebeu, nos últimos dias, novos membros para seu corpo. Atendendo a uma agenda intercultural, favorável ao combate à discriminação racial, os novos integrantes da instância mais importante do mundo mágico trazem novos ares para algumas das instituições que atendem as normas da confederação. Dentre eles, Tessália Ramo-de-Figueira, uma centaura da Grécia que já vinha atuando no parlamento bruxo grego a favor da raça centauriana, que hoje é considerada em risco de extinção.

A nova anciã não é a única mudança. A Comissão Internacional de Segurança Mágica (CISMA) busca um novo ocupante após a saída de Matthias van der Westhuizen, gravemente ferido após um atentado sofrido em território japonês. A despeito da preocupação acerca do evento, a CIB diz oferecer todo o apoio necessário para a CISMA, focando principalmente em organizar a comissão para que as investigações sobre o ocorrido possam transcorrer corretamente.

Outra alteração aconteceu na Suprema Corte Internacional da Magia, onde Lillith Ambrew encerrou suas funções, voluntariamente, em decorrência de desentendimentos internos. Em seu lugar atua Arthus Cailleach, recentemente escolhido pelas anciãs da confederação.

Além disso a Secretaria Internacional de Educação Mágica recebe uma nova direção. Após atuar a frente do Instituto Salém, Yolanda Brown foi escolhida para ocupar o cargo que encontrava-se vago há meses. Em um rápido encontro, a nova diretora afirma que agirá “[...] em prol da qualidade da educação na sociedade mágica, dando vazão e visibilidade para escolas, institutos e colégios menos conhecidos no mundo europeu.” Até o momento nenhuma declaração oficial foi realizada.

Escrito por: Ollayinka Arendse

972 Visualizações
24/01/2021 às 15:43:39

Cadernos
Notícias
Jornalistas