Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Anotações importantes Ivan Shuisky 7231 20/07/2021 às 02:33:17
Entrevista com um bolinho Ivan Shuisky 6196 28/06/2021 às 20:30:35
Sabe aquele negódio de "não sei o que dizer, só sentir"? Por aí Ivan Shuisky 6333 21/06/2021 às 01:10:49
Pra começar do começo Ivan Shuisky 6466 19/06/2021 às 00:47:52
Ano 2 Sophie Agger Karhila 11409 16/01/2021 às 17:17:16

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Inglaterra Brienne F. Cailleach [ 17094 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Brienne F. Cailleach
  • 6° Ano Slytherin
  • 6° Ano Slytherin

  • NOME COMPLETO

    Brienne Fawcett Cailleach

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    160m

  • PESO

    45kg

  • OLHOS

    Azul Claro

  • CABELOS

    Ruivo Intenso

  • SEXO

    Feminino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    16 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    24/10/2002

  • SIGNO

    Escorpião

  • NOME DO PAI

    Arthus Caillech

  • NOME DA MÃE

    Eleanor Fawcett

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Sangue Puro

  • LOCALIDADE

    Hogwarts

  • CIDADE/PAÍS

    Norfolk/Inglaterra

  • NÍVEL

Minha família veio de Norfolk, condado da região leste da Inglaterra, predominantemente rural. Moramos numa comunidade bruxa muito antiga, cuja existência remonta antes mesmo da criação do que hoje se chama por Inglaterra. E nossas fronteiras jazem próximo ao que é hoje conhecido pelos trouxas de Caistor St. Edmund, adjunto ao rio Tas.


A minha jornada em particular, começa com o encontro de meus pais. Ambos bruxos: Arthus e Eleanor. Minha mãe de ares cosmopolita da grande Londres; meu pai, pertencente a uma comunidade celta rural no interior de Norfolk. Aparentemente tão díspares, o destino se tornara inexorável na união destes dois corpos, duas almas e dois corações. Meu pai ousou desafiar os anciões, sair de nossa comunidade com o intuito de ampliar seus horizontes e realizar seu sonho de se tornar juiz. Como todo filho pródigo, à casa ele retornaria, com minha mãe ao seu lado e, posteriormente, viria a contribuir, tornando-se parte do conselho jurídico de nossa comunidade; muitas das vezes, entrando em xeque com os costumes seculares de nosso povo.


Desta união, nasceria meus dois irmãos: a inesperada chegada de Edan, o ponderado e pensador Keegan e eu, Brienne, a única filha do casal.


Eu nasceria no dia 24 de outubro, numa noite de lua cheia cujas forças se alavancavam com intensidade ao centro da terra. Céu embainhado numa vil escuridão, com raios e trovões rasgando o infinito. Era meia noite e meia. Vinha de um parto normal, segundo minha mãe, de muitas dores, porém, de rápida expulsão. Meu ascendente leão e minha lua em escorpião, nas alturas e nos confins do universo se cruzaram, favorecendo meu nascimento.


Seja os astros, seja as forças da Deusa-Mãe, todos fizeram sua parte para que eu sobrevivesse ao parto. Com certa reticência, minha mãe havia vencido a resistência das bruxas anciãs e meu parto assim como de meus irmãos foram feitos dentro da comunidade.


Sempre ligada ao mistério, ao profundo e penetrante, eu crescia em raciocínio e, segundo as anciãs, também em sabedoria e intuição. Esta minha capacidade de racionalização e observação aguçada me levariam à facilidade em poções e ervas mágicas como também no encantamento e empatia para com os animais e a natureza. Desde muito pequena ouvia quão ligada à natureza, à deusa-mãe eu estava e o quanto a magia me protegia e me guiava.


Minha mãe não era muito afeita às influências que as anciãs tinham em minha vida tampouco em minha formação intelectual e também pessoal. Contudo, talvez, ao ver que lutaria com forças as quais para ela ainda lhe era confusas como também em ver-me feliz e conectada aquilo tudo, acabou-se por resignar-se.


Desde pequena gostava de ouvir histórias sobre nossos antepassados, em particular, da heroína Boudica, que além de eu ser descendente, também havia herdado seus cabelos vermelhos, segundo as anciãs. Aquilo me embebecia de muito orgulho, uma necessidade de prova constante, em honrar minha comunidade, meu clã, a magia que circulava sempre tão viva e profunda dentro de mim.


Segundo a cultura celta, pessoas que nascem na minha época do ano são magnéticas, alegres, brilhantes, possuem a alma jovem e apaixonada, livres como uma borboleta. Não gostamos de ficar presas a um lugar, embora reconheçamos a importância de nossa base, necessitamos de liberdade para sonhar, nos expressar. Conseguimos tirar de dentro de nós uma grande força para superar os momentos de dificuldade.


Sempre muito observadora, curiosa, de mente indagadora e perspicaz. Sempre adorei aprender coisas novas, possuindo uma grande sede de conhecimento e, devo dizer, independentemente de suas origens. Alguns me acham reservada, porém, considero-me em certos momentos analítica, outros até mesmo muito responsável para a minha idade, contudo, devo dizer que estes se enganam consideravelmente, pois, cruzo os limites da racionalidade para lutar por aquilo que acredito, tornando-me por vezes, deveras impulsiva e tempestuosa.


Sou apaixonada. Apaixonada pela vida, por aquele sentimento pulsante que nos move. Considero-me intensa em tudo que faço. Ás vezes, corro riscos, em outros momentos, consigo-me a ter ao chão, embora com um olhar afiado. Há ocasiões em que me desnudo, revelando todos os meus intentos, em outros, considero-me uma incógnita, oscilando entre mistério e desejo. Há aqueles momentos em que meto os pés pelas mãos, crio problemas com uma facilidade incrível, principalmente ao tentar solucioná-los.


Sou sempre honesta comigo, ou, pelo menos, tento ser. Tenho facilidade em captar as coisas ao meu redor, seja de conhecimentos (caso eles me apeteçam) seja sobre sensações e sentimentos. Assim, acho importante também expressar minhas ideias, meus sentimentos, contudo, também sei me calar na espera de um momento oportuno e certo em me expor. Posso ser alcunhada de egoísta e até mesquinha, mas, não me considero assim, pois, faria tudo o que me é possível para proteger os meus. Talvez nisto, posso soar mimada, orgulhosa, contudo, a alcunha de determinada mais me apraz.


Não sei se posso me considerar fria e calculista. Talvez, vingativa soe melhor, como uma boa escorpiana que se preze. Posso não conseguir me vingar da melhor forma possível que a pessoa mereça, mas, com certeza, dedicarei um pouco de meu tempo em tentar lhe dar um chute no traseiro.


Gosto de estar perto das pessoas, embora considero-me seleta, não afeiçoando proximidade com quem é muito díspar de meus valores. Contudo, também necessito de momentos de introspecção, em que posso me conectar com a Deusa-Mãe e através dela recarregar minhas energias.


Sobre ambição... talvez minha maior ambição seja lutar por aquilo que acredito como certo; podendo-me tornar um pouco intolerante, mas, defendo com unhas e dentes meus valores, meus ideais, por mais ultrapassados que eles possam soar para alguns. E, embora soe clichê, eu realmente não ligo para as opiniões alheias; minha criação foi muito fundamentada e enraizados para me deixar influenciar e guiar por terceiros apenas para agradá-los. Posso ser intolerante por um lado, cabeça dura, mas, também considero-me benevolente e generosa para com aqueles que me preocupo.


Dado ao meu ascendente na casa de leão, gosto de comandar e isto invariavelmente acaba por me enfiar em conflitos, principalmente quando se é filha única e possui dois irmãos mais velhos.

Quando me sinto segura em uma relação, mergulho-me de corpo e alma. Sou intensa, vivo profundamente.


Perdi minha mãe tão logo entrei em Hogwarts. Não foi um ano fácil. Dentre as novidades inerentes ao início de meu ensino mágico, tinha que me confrontar com a realidade de que minha mãe havia partido e de forma trágica. Por muitos anos a julgaria egoísta por ceifar a própria vida, principalmente levando os supostos motivos em consideração. Acho que até hoje ainda enfrento resistências neste aspecto, devo dizer.


Sou agora a única mulher da família e nem sempre é um papel fácil de exercer. Por vezes, sinto o peso sobre meus ombros, seja em tomada de decisões e até mesmo sob o reflexo delas sobre mim.


Além de lidar com os três homens de minha vida também tenho Yegor Turgueniev, um ruivinho do quinto ano que conheci durante o Intercambio em Durmstrang. De início, pensei ser apenas uma amizade, contudo, sentimentos foram crescendo, se modelando... e desde então mantemos contato.


Estou indo para o quinto ano em Hogwarts, com o coração um pouco na mão, mas, consciente de que o que dizer de ser, será sobre a proteção de forças além de mim.



 





Este perfil já foi visualizado 716 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 28/02/2021 às 15:37:45