Dados Básicos do Fórum:

Na Zonko's não citamos nenhum dos personagens dos livros ou filmes. Vivemos no mundo mágico, mas nem Harry Potter, Voldemort, Dumbledore, Comensais da Morte e etc. existiram em nosso mundo, com isso você não pode usar nenhum sobrenome dos personagens dos filmes ou livros. O fórum encontra-se nos dias atuais, no ano de 2013 d.c. e as condições climáticas variam de dia para dia e de tópico para tópico, conforme você poderá observar. O nosso período letivo dura oito meses contando com as férias. Nossos adultos recebem por dia de presença e seus tópicos em ON lhe renderão pontos e goldens (nossa moeda). Você nunca poderá interpretar a ação de outro personagem (salvo com autorização), mas poderá interpretar livremente o seu personagem (seja sempre coerente), lembrando que toda ação possui uma reação. A capital do Mundo mágico está localizada em Vaduz, Liechtenstein.

Últimas publicações do Livro Vermelho:

Título Autor Visitas Data
Felicidade Jian-Yin Lee 5584 23/05/2020 às 22:05:02
Recomeço Jian-Yin Lee 8141 13/03/2020 às 16:50:15
22/02/2020 Duncan Cullen 7947 22/02/2020 às 15:27:50
Diário do Josh - Últimos dias antes da escola. Joshua P. A. Nolan 11731 17/01/2019 às 11:12:01
Chegada à Durmstrang Mihail Weylin 11347 22/11/2018 às 18:19:24

Central de Ajuda Zonko's:



Entre em contato por: [email protected]

Brasil Zachary Smirnov II [ 17704 ]

Situação Atual: CADASTRO NORMAL E ATIVO

  • Zachary Smirnov II
  • Mundo Mágico
  • Mundo Mágico

  • NOME COMPLETO

    Zachary Abbott Smirnov Brandão Ii

  • RAÇA

    Humana

  • CLASSE

    Mágica

  • ALTURA

    1,84m

  • PESO

    65kg

  • OLHOS

    Azul Claro

  • CABELOS

    Azul Claro

  • SEXO

    Masculino

  • OPÇÃO SEXUAL

    Heterossexual

  • IDADE

    45 anos

  • DATA DE NASCIMENTO

    20/11/1973

  • SIGNO

    Escorpião

  • NOME DO PAI

    Zachary Abbott Smirnov Brandão Ii

  • NOME DA MÃE

    Antonieta Ferreira Smirnov Brandão

  • ORIGEM SANGUÍNEA

    Sangue Puro

  • LOCALIDADE

    Mundo Mágico

  • CIDADE/PAÍS

    São Paulo/Brasil

  • NÍVEL

“Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim”

O menino, esperançoso e cheio de sonhos, já não despertava, apagando do homem quaisquer vestígio que poderia existir do sensível, dos abraços cheios de sentimentos, ou dos beijos roubados em meio aos banheiros da Escola Militar. Os dias e noites já não tinham diferença, por que teriam? O General Zachary Abbott Smirnov Brandão II fez tudo o que lhe foi exigido, entregando sua infância nas mãos de uma guerra que hoje nem ao menos conhecia, afinal, ele não era uma criança, era um soldado e, como tal, possuía obrigações, deveria servir e orgulhar sua família, como vinha o fazendo desde que deixara Durmstrang, sendo um dos melhores de sua turma.

Obviamente, a missão era muito maior, Zachary precisava se casar com uma mulher de boa família e ter uma própria, assim, Anna entrou em sua história, à princípio, sua melhor amiga, pessoa com quem dividia os fardos e desesperos de ser parte de uma elite tão pequena. A ideia, então, partiu do próprio Zachary, quando soube que a amiga se encontrava grávida de um ser vil que lhe deu as costas sem hesitar, ele decidiu tomar para si a responsabilidade, propondo o casamento as respectivas famílias na mesma noite. As coisas caminharam bem, o jovem Zachary conseguiu manter as tradições, encontrava-se feliz tendo sua melhor amiga ao seu lado.

Naquela época, o jovem Zachary ainda sorria, brincava com a pequena Olívia e ajudava-lhe com a descoberta de sua magia... Os problemas, contudo, começaram quando a pequena Azealia veio ao mundo, inevitavelmente, Anna, que sempre foi uma mulher de espírito livre e sexualidade abundante, teve alguns casos pelo caminho, nada que pudesse abalar a força da união ditada pela tradição, claro e, como melhor amigo, o jovem nunca a reprovou, pelo menos não até que virasse verdadeira chacota entre os colegas e familiares, eles diziam que suas filhas não lhe pertenciam, como poderiam, ele pensava: Como poderiam não serem minhas quando estive lá para trocar cada frauda? Quando sorriu abertamente ao escutar a palavra Papai e vibrou ao vê-las dar os primeiros passos?

O tempo, as palavras e decepções tornaram o Homem Zachary uma pessoa distante, até mesmo as conversas com sua “esposa” tornaram-se cada vez mais raras e escassas, as filhas, cresciam de forma livre tendo no pai um ser pouco presente e extremamente frio, cujas poucas aparições em suas vidas poderiam ser resumidas em cobranças demasiadas, possivelmente por ser tudo o que conhecia. O mar, então, tornou-se refúgio, afinal, quando em seu navio, não poderia ser questionado, mais muros que se erguiam, mais portas que se fechavam e mais sentimentos que eram acumulados, afinal, ele não era um homem, era um soldado.

“De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo”



Este perfil já foi visualizado 111 vezes. Atualizado pela ultima vez em: 29/05/2020 às 17:32:00